sábado, 5 de novembro de 2011

Obrigada, Alemão!!






Desde que começamos a escrever neste blog não tivemos tempo ou inadvertidamente não nos lembramos de escrever sobre uma pessoa muito, mas muito importante.

Trata-se de um alemão, forte, de seus vinte e poucos anos (como diria Fábio Junior) e que, até onde nós sabemos, vive em Tubigen.

Este jovem, aos se inscrever no banco de medula de seu país, talvez não pudesse imaginar que daria chances a uma pessoinha de um aninho, que vive quase do outro lado do mundo, de ter uma nova vida!

Esta pessoa, talvez idealista, mas talvez, sem maiores pretensões, deu ao Gui o que ninguém, nem nós, pais amorosos e aflitos e demais familiares, nem ninguém no Brasil inteiro, a oportunidade de ter uma vida normal. Sem os riscos que uma doença traiçoeira pode oferecer!!

Lembro-me claramente, era o dia 11/06/11 e estávamos internados no Copa D'or, no Rio, quando o José Marcos nos ligou por volta das 21 horas informando que haviam localizados 3 possíveis doadores, dentre 16 milhões de cadastrados como doadores de medula óssea, e um deles, um alemão, seria, em princípio, a melhor opção!

Pouco tempo depois ficamos sabendo que dois dos possíveis doadores não estariam disponíveis para a doação, assim, o alemão passou a ser a nossa melhor e única opção...

E o Gui lhe deu trabalho!! Após a primeira análise, chamada de baixa resolução, ele foi convocado para os exames de alta resolução. A amostra se perdeu e foi convocado novamente. E lá estava ele para que lhe tirassem nova amostra de sangue!!

O exame de alta resolução comprovou a compatibilidade necessária para o transplante! 100% de compatibilidade! Este realmente é o alemão sangue bom!!!

Já escrevi como fiquei feliz quando novamente o José Marcos me ligou para dar a notícia dos testes confirmatórios, mas não consigo imaginar como o Alemão ficou ao saber sobre a chance que ele nos daria...

Mas, com a paranóia que toda mãe tem, ficava me perguntando, será que não desistiria em cima da hora? Será que não preferiria viajar a ter um pouquinho se sua medula retirada do seu osso da bacia? E mais uma vez, lá estava ele!!! Firme, forte e pronto para DOAR!!

Antes de virmos para São Paulo, em uma entrevista que concedemos para a Bandeirantes (e que está vinculada no Blog) o jornalista me perguntou o que eu falaria se tivesse a chance de encontrar com o doador do Gui. Comecei a falar, mas a voz embargou, me emocionei e comecei a chorar até que o Luis Claudio me abraçou! Quando consegui desembaçar os olhos e pedir desculpas, estavam todos em lágrimas - além de mim e do Luis, o repórter e o cinegrafista! Mas estas imagens não foram vinculadas na matéria, ficarão apenas guardadas nas nossas memórias...

Este ato de amor ao próximo, junto com um monte de outras coisas, como tecnologias, medicina e mãos hábeis, está nos trazendo a possibilidade de um futuro diferente, cheio de alegria, amor e felicidade!!!

Gostaria que trazer uma reflexão a todos aqueles que ainda não são, mas que pensam em se cadastrar como doadores. Quando o fizerem, façam com seriedade! Que sigam o exemplo que descrevi para não trazer falsas esperanças a quem realmente precisa!

Ao Alemão, o nosso muito obrigada!!!!

Um grande beijo a todos,

Adriana.


5 comentários:

  1. Oi Dida........Estou feliz pela vitória que sei que já está ocorrendo na luta do nosso valente menino. Estamos todos aqui anciosos para ter você o Luiz e o Gui aqui na Vila, correndo brincando de pique como nós faziamos na nossa infância, que foi sem dúvida maravilhosos momentos em nossas vidas. Hoje tenho a certeza de o Gui também poderá desfrutar desses momentos.Temos nos falado pouco, mas sempre tenho notícias pelo Vô Zecão e a Vó Nice. Amiga Força, coragem e esperança.... Todos aqui de casa te madam um grande Beijo Be, Célio, Tania Quinho, Marcia, Matheus e Paula......Amiga Amo muito Você !!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Rede social é assim, a gente conhece histórias, sem mesmo conhecer seus protagonistas. E desta forma conheci o blog faz poucas semanas, mas só agora resolvi escrever depois q meus olhos encheram d’água com o depoimento sobre o alemão doador, que coisa linda e emocionante! Sei exatamente tudo q estão passando pq tbm tive um problema semelhante. Tenho 31 anos e em maio descobri um câncer de mama, rapidamente retirei , comecei tratamento com quimio e agora estou na radioterapia. Só quem vive, sabe do que falamos e sentimos. Assim como o Gui, tbm tenho pais q não mediram esforços para q eu tivesse o melhor tratamento possível, com o médico q escolhi. Desta forma tudo correu mto bem durante este tempo. Mas sabe o que ajudou tbm? Ter sempre pensamento positivo para lidarmos melhor com o momento em q passamos, assim tudo flui com mais tranquilidade. E q Filhos sempre precisarão de seus pais, seja qual for a idade e em qualquer circunstância. Então continuem com mta força pq esse é o momento do filho de vcs. Torço aqui do RJ para q continue tudo dando certo e quem sabe não teremos a chance de nos conhecermos depois. Um grande abraço, Luciana Loja

    ResponderExcluir
  3. Só para lembrar (a Tia Babá já deve ter dito) que o que vocês precisarem, podem contar conosco, aqui em São Paulo. Seguimos rezando, torcendo e mandando toda a energia possível para vocês! Beijos e o amor dos Guerreiro também em São Paulo

    ResponderExcluir
  4. Adriana, muito emocionante seu depoimento! Fico me perguntando: Porque existem pessoas que se inscrevem e não levam à sério???!!! Voce disse tudo! Um enorme beijo pra voce, pro Luis Claudio e um especial nessa bochecha deliciosa do nosso vampirinho!!!

    ResponderExcluir
  5. Juro que se fosse eu, assim que o baby se recuperasse, eu o levaria até a Alemanha para conhecer quem salvou a vida dele... isso incentivaria mais pessoas a se cadastrarem como doadores de medula! :)

    ResponderExcluir