sábado, 12 de novembro de 2011

Depoimento da jornalista Graziela Azevedo

Edição do dia 11/11/2011

11/11/2011 21h40 - Atualizado em 11/11/2011 21h40

'Nunca chorei tanto


nas gravações', diz


repórter Graziela Azevedo


O Globo Repórter desta sexta (11) mostrou a história de brasileiros que doam e recebem órgãos. Graziela conta ao site como foi fazer o programa.

Graziela Azevedo

Toda vez que me chamam para fazer alguma reportagem sobre transplantes, me lembro de uma série que fiz alguns anos atrás. Na ocasião, já havia um ano o Incor (Instituto do Coração de São Paulo) não fazia transplantes cardíacos em crianças por falta de doadores. Após a série, em apenas um final de semana, foram realizados três! Os médicos deixaram claro que nosso trabalho havia sensibilizado médicos para que ficassem atentos a potenciais doadores e fez com que famílias conversassem sobre o assunto com muita gente se declarando doadora de órgãos. Tudo isso permitiu que três vidas fossem salvas num final de semana.

Fazer agora o Globo Repórter foi para mim uma grande oportunidade de chamar a atenção para esse “milagre” de tantos renascimentos que podem acontecer quando uma vida termina. Uma única pessoa pode salvar tantas outras, uma pessoa viva pode doar sangue e medula e muitos ainda não fazem isso por desconhecimento, falta de informação, medo. Acredito muito no poder da informação e da solidariedade, e é isso que mostramos no programa desta sexta (11). Denunciamos o que ainda precisa melhorar e mostramos o quanto estamos avançando na área dos transplantes.

Tenho mais de 25 anos de profissão e acho que nunca chorei tanto durante gravações. São histórias que emocionam demais não só porque tem momentos de tristeza, mas principalmente pela força, pela gana de viver, pela solidariedade de gente que não se conhece e doa, pelo amor imenso de parentes que tiram da própria carne para devolver a saúde a um irmão, a um parente. Vale a pena conhecer a garra das equipes de saúde que viram dias e noites, perdem finais de semana e feriados para fazer do Brasil um dos campeões em transplantes no mundo. Vale a pena ver que a capacidade de ajudar ao próximo pode vir de pequenos e também de grandes gestos de gente que se ama e de outros que nem se conhecem. Quando é assim, de uma forma ou de outra a VIDA vence sempre.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Graziela Azevedo pela linda reportagem!
    O Globo Repórter, edição 11/11/11 nos emocionou do início ao fim. Belo trabalho!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabens Graziela, pela reportagem que emocionou o BRASIL, emarcou minha vida como um divisor de aguas, quero ajudar esse rapaz Igor Rocha,me identifiquei com ele...Belo Trabalho

    ResponderExcluir
  4. lnda reportagem, força p/ a familia do gui ele ja esta vencendo , q deus o proteja, ele e muito lindo, força a familia

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito feliz com a noticia de que deu tudo certo no transplante, acompanhei pelo globo reporter a correria da médica, e me sensibilizei muito, acho que todo o Brasil chorou com o globo reporter desse dia, mas o caso do Gui foi muito especial, sensibilizou de uma forma bem intensa...Espero que vcs estejam logo no lar de vcs, e que Deus abençõe vida de vcs!!! bjs

    ResponderExcluir