quarta-feira, 21 de setembro de 2011

No Einsten...


Com o término do Interferon, o Gui estava apto a realizar todos os exames necessários a fim de verificarmos se estaria em condições de passar pelo transplante. Ou seja, sem qualquer foco de infecção, febres, ou qualquer alterção em seus exames de sangue ou imagem.

Para tanto, providenciamos a sua internação no próprio Albert Einsten, em SP, para a realização de todos os exames.

Foram colhidos mais de 20mls de sangue, realizados exames de imagem com e sem contraste, eletrocardiograma, ecodopler, entrevistas com médicos, enfermeiros, dentista, psicólogo, nutricionista, além de um tour para conhecer as instalações do setor de transplante.

Felizmente os exames estavam todos ótimos!! Passou com 10 com louvor!!! yessss!!!!

Em um dos momentos em que estávamos aguardando por mais um exame o Gui aproveitou que a brinquedoteca estava vazia e se esbaldou!!!


Todas as taxas sanguíneas normais, exames de imagem ok! Agora vamos ao calendário: 21/10/2011: Este será o próximo grande dia!!!

Oito dias antes inicia o processo de quimioterapia, dá-se um dia de descanso e, finalmente, a medula alemã!!! Que seja muito bem vinda ao Brasil, você será recebida com muito carinho e com muito amor!!!

Um grande beijo a todos,

Adriana


Menos uma etapa!!!



No dia 10 de setembro curtimos a nossa última ida ao hospital para tomar a injeção do interferon. E isso tinha um significado todo especial, pois além de termos uma tarefa e um sofrimento a menos, também significava que a data do transplante estava se aproximando!!!!

E assim foi, a sua super babá e personal stylist Nanda o arrumou para deixá-lo bem parecedido com o pai e nos preparamos para a ida ao hospital e, conforme prometido à Elaine, segue uma foto com ela, uma das enfermeiras que sempre nos recebe com um largo sorriso nos lábios e deixou o Gui com lágrimas rolando pelo rosto do Gui... Infelizmente faz parte...

Mas eu gostaria de deixar registrado todo o meu respeito pelo cuidado, pela paciência e pelo profissionalismo que sempre nos atenderam no Copa D'or, mesmo nos momentos mais difíceis, quando estávamos prestes a surtar sempre tinham palavras carinhosas para nos passar.

Mas, apesar dos agradecimentos e por toda a paciência, realmente espero não precisar voltar lá tão cedo e espero que nos compreendam!! rsss

Um grande beijo a todos,

Adriana.