terça-feira, 17 de maio de 2011

Há 8 meses neste mundo



Guilherme Mezabarba Anísio, meu sobrinho, tem apenas 8 meses, mas já mostrou pra todo mundo que é um menino muito valente. Com apenas 3 meses enfrentou uma infecção considerada rara, chamada osteomielite, que se instalou no osso frontal. Com a ajuda dos tios Zé Henrique (pediatra), Gabriel Mufarrej (neurocirurgião pediátrico), Soraya Rouxinol (hematologista pediátrica) e Angelo Leal (infectologista), ele conseguiu vencer as bactérias. Foram 40 dias internado no Hospital Copa D'Or no Rio de Janeiro. Foi assim seu primeiro natal, seu primeiro reveillon.

Não muito tempo depois, lá estavam as bactérias novamente, tirando o sono do pequeno Gui. O menino voltou ao Copa D'Or. Desta vez com uma pneumonia. Foi quando entrou em cena o tio Jose Marcos Cunha, imunologista.

Em sua terceira internação descobrimos a razão das infecções. O pequeno Gui e portador de uma enfermidade denominada Doença Granulomatosa Cronica. Trata-se de uma imunodeficiência congênita que o torna completamente vulnerável às bactérias e aos fungos. Gui completará seus 9 meses nas dependências do Hospital Copa D'Or, e manterá sua integridade física com antibióticos e Interferon, além de cuidados extras em sua rotina diária. Gui não poderá ir à praia, ou às festas de aniversário dos seus amiguinhos. Gui não poderá ir à escola tão cedo. Gui não poderá caminhar na areia ou brincar na terra, ter um bichinho de estimação. Tudo isso, porém não é a garantia de que Guilherme não sofra uma nova infecção que o debilite e ponha em risco a sua vida. Nesta terceira internação Guilherme passou pela UTI e recebeu uma transfusão de sangue.

A única esperança para Gui ter uma vida normal é o transplante de medula óssea.

Doar a medula óssea é mais simples do que se imagina. É preciso ir ao HEMOCENTRO de sua cidade, fazer um cadastro e um exame de sangue para a tipagem. A probabilidade de compatibilidade é de 1 em 100.000. Caso seja detectada a compatibilidade, o doador cadastrado é contactado para novos exames. O procedimento é simples. Daremos mais detalhes num próximo post.

Estamos certos de que o esforço da nossa família para ajudar o Guilherme também servirá para trazer alegria para muitas outras famílias que buscam um doador de medula óssea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário